Correntes de Rolos Elementos de Máquinas Material Técnico

Correntes de Rolo

As correntes de rolos são uma opção de transmissão quando o torque envolvido no projeto não é suportado por uma transmissão de correias, quando o sistema não admite escorregamento na transmissão ou quando existe uma solicitação especial, como o transporte de materiais com a utilização de aditamentos para correntes.

Atualmente existem no mercado várias tipologias, marcas, materiais para as variadas aplicações possíveis com correntes de rolos.

Assim, as correntes são classificadas e fabricadas seguindo normas específicas. Podemos citar:

ANSI B 29.1 (ASA)

ABNT & ISO R-606

DIN8188

DIN 8187 (BS)

DIN 8180

A norma mais conhecida e usual entra os fabricantes de correntes é a Norma ASA. Assim é muito comum na especificação a descrição da norma da corrente e não do passo. Por exemplo:

ASA25 = Passo 6,35 (1/4")

ASA35 = Passo 9,525 (3/8")

ASA40 = Passo 12,7 (1/2")

ASA50 = Passo 15,875 (5/8")

ASA60 = Passo 19,05 (3/4")

ASA80 = Passo 25,4 (1")

ASA100 = Passo 31,75 (1 1/4")

E assim por diante.

Algumas observações com relação às engrenagens para correntes são de fundamental importância para a correta aplicação e especificação no projeto. Seguem aqui as que devem ser observadas:

01-O ideal para o acionamento é que o número de dentes da engrenagem motora seja superior a 17 .

02-O ideal para o acionamento é que o número de dentes da engrenagem movida seja inferior a 120 .

03-O ideal para o acionamento é a redução possa ser de 1:7, no máximo 1:10.

04-Nas reduções superiores a 1:3 a distância entre centros não deve ser menor do que a diferença entre o diâmetro da engrenagem movida e o diâmetro da engrenagem motora, para assegurar um arco de contato mínimo de 120°, na engrenagem motora.

05-O número de dentes da engrenagem movida e motora deverá ser escolhido dentre uma das engrenagens normalmente encontradas no comércio. Selecione primeiramente a engrenagem padrão, após calcule a outra pela seguinte fórmula:

nº de dentes eng. motora = (RPM eng. movida x nº dentes Eng. Movida) / RPM eng. motora

ou

nº de dentes eng. movida = (RPM eng. motora x nº dentes Eng. Motora) / RPM eng. movida

06-O Acionamento selecionado deve ser analisado para se certificar que o espaço físico comporta a transmissão.

07-A distância entre centros das engrenagens não deve ser superior a 80 vezes o passo da corrente.

08-A distância entre centros deve ser igual ou maior do que as distâncias mínimas recomendadas conforme tabela abaixo:

Passo 9,525mm - Entre Centros Min:152mm

Passo 12,7mm - Entre Centros Min:228mm

Passo 15,875mm - Entre Centros Min:305mm

Passo 19,05mm - Entre Centros Min:380mm

Passo 25,4mm - Entre Centros Min:530mm

Passo 31,75mm - Entre Centros Min:686mm

Passo 38,1mm - Entre Centros Min:838mm

Passo 44,45mm - Entre Centros Min:990mm

Passo 50,8mm - Entre Centros Min:1143mm

Passo 63,5mm - Entre Centros Min:1450mm

Passo 76,2mm - Entre Centros Min:1676mm

09-O projeto final deve ter capacidade adequada levando em consideração os limites de potência para os diferentes passos de correntes. (Ver no material para download).

10-Para engrenagens com menos de 24 dentes, velocidades acima de 600RPM,  reduções acima de 1:4 ou cargas pesadas, especificar engrenagens com dentes temperados.

Segue abaixo, disponível para Consulta, conteúdo técnico para cálculo, seleção e dimensionamento de correntes de rolo:

Por Hoje é isso Pessoal! Bom Estudo e Bons Projetos!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *