3D AutoCad Autodesk Inventor Fabrica do Projeto Projetos em 3D Softwares CAD SolidEdge Solidworks

O futuro do Solidworks (Na visão dos defensores e da concorrência!)

Muito bem pessoal! Hoje gostaríamos de debater sobre um dos assuntos que vem "agitando" o mundo CAD 3D nos últimos meses. O texto é muito interessante. Leia até o final e expresse sua opinião através de seu comentário!

Estamos acompanhando uma "guerra" de informação (e de mercado) entre os defensores do Solidworks e a concorrência, com relação às futuras versões do software. Para você que ainda não ouviu falar, a questão é a seguinte:

O Kernel (motor matemático) utilizado pelo Solidworks é o Parasolid. É também o kernel 3D utilizado para NX Siemens PLM e SolidEdge, MicroStation da Bentley, Vectorworks Nemetschek, e vários outros produtos de CAD. O grande "X" da questão é que o Parasolid é um produto licenciado da SIEMENS, empresa que compete diretamente com o SolidWorks e CATIA, através de seus softwares SolidEdge e NX Siemens PLM.

Então logo vem a pergunta: Qual o interesse da SIEMENS em fornecer um motor matemático (praticamente a alma do programa, o motor do carro) de ponta, com o mesmo nível de desenvolvimento empregado pela empresa no SolidEdge? É como ir à guerra com um país, mas ao mesmo tempo, vendendo-lhes a munição!

Então caros leitores, a Siemens ficou com a FACA e o QUEIJO na mão!

A partir disso, começaram os rumores sobre a migração do SolidWorks, hoje baseado no Parasolid da Siemens, para a plataforma V6, a mesma empregada no Catia, que é o coração das aplicações da Dassault Systemes, proprietária do SolidWorks desde 1997.

E o que isso significa para os usuários e arquivos gerados no Solidworks até agora? Algumas situações:

  • Os arquivos gerados serão totalmente diferentes, sendo assim, os arquivos antigos sofrerão sérios problemas de conversão paramétrica, existindo a possibilidade de abrirem somente nas versões específicas - Parasolid e V6;
  • Aplicativos externos desenvolvidos para o Solid atual não funcionarão na nova versão;
  • Se o usuário optar pela migração a nova versão V6, precisará manter outro programa paralelo (Parasolid) para abrir os antigos arquivos;
  • Se forem mantidas duas versões do programa, V6 e parasolid, para qual versão a Dassault dedicará mais atenção?
  • Se forem mantidas duas versões do programa, V6 e parasolid, a Siemens fornecerá a mesma versão do Parasolid utilizada no SolidEdge?

A Dassault segue argumentando que manterá o Kernel Parasolid nas próximas versões do SolidWorks (2014,2015,...), e que desenvolverá em paralelo o SolidWorks V6, como um produto diferenciado. Portanto, seguem abaixo alguns pontos de vista, dos diferentes "lados da moeda" para sua informação:

Matt Lombard - Consultor independente de Solidworks (referência no assunto):

Mudar de Parasolid a V6 é como tirar o motor de seu carro - o que o carro foi concebido em torno - e substituí-lo com um motor completamente diferente, que nunca foi destinado a ser usado em seu carro. Esta mudança é relativamente simples, se feito durante a fase de desenvolvimento. Depois de alguns anos de venda do produto é doloroso. Depois de mais de uma década e dentro de um produto que está alastrando em seu escopo, Dan antecipa com algum entusiasmo que uma mudança de kernel vai ser desastrosa para os usuários de SW. A mudança de SW201X para SW V6, considerando apenas os efeitos da mudança do kernel  (mesmo sem considerar os efeitos da nuvem) vai ser mais perturbadora  para os usuários finais, do que a mudança para um pacote de CAD completamente diferente, podendo esta ser menos prejudicial.

Indicação de Dyonadans Siqueira - Coordenado de Marketing da Siemens PLM, extraído de (http://www.baguete.com.br/noticias/software/22/03/2012/cad-siemens-plm-cutuca-solidworks)

A Siemens PLM partiu para cima da SolidWorks com a divulgação de um case de migração que tira máximo proveito da insegurança existente na base de clientes da concorrente sobre uma futura migração de kernel da solução de CAD 3D da SolidWorks.

O case, distribuído em nível mundial, fala da troca de software de CAD da Helena Laboratories, fabricante de instrumentos de laboratório clínico com 800 empregados sediada no Texas, Estados Unidos.
Usuária SolidWorks desde 2007, a Helena decidiu trocar para o SolidEdge em 2010 quando começaram os rumores sobre a migração do SolidWorks, hoje baseado no Parasolid da Siemens, para a plataforma V6 que é o coração das aplicações da Dassault Systemes, dona da SolidWorks desde 1997.

“Nós não queremos desperdiçar nossos valiosos recursos, tempo e dinheiro para manter a implementação de mudanças para outros. Serão anos até o SolidWorks conseguir converter para Catia kernel”, relata na nota da Siemens Billy Oliver, engenheiro de projeto no Helena.

Enquanto a Siemens faz a sua parte expondo os possíveis problemas de uma futura migração, a SolidWorks se esforça para minimizar o possível impacto da novidade.

Durante o SolidWorks World 2012, o CEO da companhia Bertrand Sicot, disse que anúncios sobre a aguardada nova versão do software de CAD 3D, que já vem sendo esperada desde 2010, serão divulgados somente em 2013.

Sicot fez questão de frisar que mesmo com o lançamento em um futuro não determinado, a companhia não forçaria uma migração para o novo produto, mantendo o SolidWorks atual enquanto houvesse demanda dos clientes.

O primeiro ensaio sobre o assunto foi o lançamento em 2011 do n!Fuze, um software de gestão de documentos hospedado em cloud computing já baseado na plataforma V6. O produto no entanto não decolou e está atualmente em reformulação.

Se no front da engenharia a situação está indefinida, o V6 será a base de um ataque da SolidWorks na área de arquitetura, tradicionalmente dominada pela concorrente AutoDesk. A companhia prometeu até outubro o lançamento de um CAD voltado para o segmento.Em resumo, a Siemens PLM ataca o mercado da SolidWorks, que se prepara para atacar o mercado da Autodesk, quem sem dúvida está preparando algo em relação aos seus concorrentes. Os próximos anos serão muito interessantes no mercado de CAD.

Artigo publicado por José, usuário e entusiasta do solidworks no Blog: http://solid3d.blogspot.com.br/2012/04/um-pouco-do-que-aconteceu-no-solidworks.html

No evento, que reuniu mais de 5,6 mil pessoas, tanto Bernard Charlès, principal executivo da Dassault Systèmes, como Bertrand Sicot (foto), CEO da DS SolidWorks, além de outros altos executivos, garantiram que o software de CAD 3D SolidWorks será mantido tal como ele é (obviamente com as atualizações maiores a cada nova versão e outras atualizações de praxe)  por todo o período em que o mercado o suportar. Também foi dito, em alto e bom som, que o kernel Parasolid será mantido versão 2013 pelo vice-presidente e gerente de produtos da SolidWorks, Fielder Hiss. “Isso não vai mudar”, afirmou.   

Os números da DS SolidWorks, por si, parecem ser suficientes para ratificar o que afirmam o executivos. O CAD SolidWorks tem 1,7 milhão de usuários no mundo. Fazer modificações mais radicais, que podem deixar descontentes esse verdadeiro batalhão de usuários, seria como comprar uma briga com uma população equivalente à de Curitiba (PR), ou maior que a de Guarulhos, na Grande São Paulo. 

E, no caso do software SolidWorks, a situação é agravada porque os usuários têm um bom motivo para se sentirem “donos do produto”. Como se sabe, boa parte das cerca 200 inovações ou aprimoramentos colocados a cada nova edição do CAD são decorrentes de sugestões feitas por usuários. 
Destaque-se também que a marca SolidWorks é responsável por 20% do faturamento total da Dassault Systèmes (1,78 bilhão de euros).     Ainda é bom lembrar que o software SolidWorks é um produto cuja demanda não para de crescer. Em moeda constante, o faturamento da DS SolidWorks cresceu 12% em 2011. A venda de novas licenças comerciais do CAD 3D cresceu 14%, totalizando perto de 48 mil licenças. 

A participação do produto no mercado de CAD mecânico é tão evidente, que até mesmo a concorrência reconhece. Dan Staples, diretor de desenvolvimento de produto Solid Edge, da Siemens PLM Software, declarou recentemente ao site especializado CADdigest.com, que a SolidWorks tem a maior participação de mercado em sua categoria de produtos.

A novidade é que além do CAD 3D SolidWorks, que está no mercado, a empresa está desenvolvendo um novo CAD, que está sendo chamado de SolidWorks V6. Este produto deverá integrar a plataforma V6 da Dassault Systèmes. Para saber como será exatamente este produto (ou série de produtos), vai ser preciso esperar. Nenhum detalhe foi divulgado durante o evento. 

Neimar Chiapetti: Profissional de vendas do canal Autodesk para o estado de Santa Catarina. Extraido do blog: http://prototipagemdigital.wordpress.com/

San Diego – SWW 2012 – “Eu tinha que admitir que estava confuso. Todo mundo – concorrentes e usuários – falava sobre como o Solidworks estava mudando seu Kernel – e todos os tipos de coisas ruins que aconteceriam. A ‘merda seria jogada no ventilador’. Todos os seus modelos do Solidworks seriam jogados fora. Aplicativos de Terceiros deveriam ser totalmente reescritos. Um DESASTRE de conversão estava por vir. A Dassault Sistémes, que mal conseguia converter arquivos entre versões do Catia agora estava a caminho de trocar o Parasolid para o Kernel do Catia! A Dassault foi ignorando vozes do passado de cautela, tanto externa quanto interna. Dizia-se que a Dassault havia trocado o CTO Gian Paulo Bassi por Austin O’Malley com esse objetivo. O Gian Paulo havia declarado que o Solidworks estaria usando o Kernel V6 no dia anterior. No entanto, Fielder Hiss, VP de Desenvolvimento de Produto, diz que o Solidworks não está mudando seu Kernel.”

Resumindo: Quando perguntado se estava ou nao mudando o Kernel, Hiss afirmou que ambos estão corretos. Em outras palavras, a Dassaul vai começar a desenvolver, em 2013, o Solidworks com motor V6 (Catia) e continuar desenvolvendo o Solidworks com motor Parasolid.

A pergunta que fica no ar: qual o investimento paralelo em cada ferramenta? Seria uma repetição da mesma história que aconteceu com o Mechanical Desktop da Autodesk? Ele ainda existe, mas não há mais desenvolvimento de ferramentas.

E a pior de todas: por quanto tempo terei que usar Solidworks do jeito que está, enquanto os softwares concorrentes como Autodesk Inventor e Solid Edge continuam a se desenvolver a passos gigantescos?

O tiro foi dado. A largada foi dada. Agir ou esperar? É isso o que se perguntam clientes e desenvolvedores da versão do Solidworks – Parasolid.

E você? o que acha? Qual o futuro do mercado CAD 3D? Este é um assunto polêmico que poderá mudar a decisão de muitos gerentes de projetos e empresários nos próximos anos. Solidworks, Inventor ou SolidEdge? A Fábrica do Projeto abre o espaço para a discussão sobre o assunto. Utilize o campo de comentários e dê seu ponto de vista!
Aprenda mais! Compre livros! Confira aqui nossas dicas de leitura para Solidworks, Autodesk Inventor, Solid Edge e catia by Livraria Saraiva.

13 thoughts on “O futuro do Solidworks (Na visão dos defensores e da concorrência!)

  1. Acho que tudo isso é somente especulação.

    O SolidWorks é tão bom, tão dinâmico e com uma facilidade para criações e inovações que, acredito que a DS nunca o deixará ficar em plano inferior. Tudo bem que o Inventor, O NX e outros também fazem a mesma coisa, mas tenho certeza… com tanta rapidez, facilidade e precisão…estou pagando para ver.

  2. Novo update quanto as mudanças que as ferramentas de CAD sofrerão para os próximos anos. http://www.deelip.com/?p=7532
    Deelip Menezes é um dos, se não o mais respeitado Blogger do mundo CAD. Nesse post ele comenta não somente sobre a troca do Parasolid para o CGM no Solidworks como também a “eutanásia” (conforme ele se refere) que a PTC fará no motor de seu “novo” software (Creo/Elements Direct). Vale a leitura.

  3. É, realmente nos próximos anos é provável que tenhamos várias mudanças neste mercado. Acho que quem deve estar feliz com esta história toda é a Autodesk com seu Inventor que pode acabar tirando proveito disso tudo.

  4. Creio que um dos fatores que fazem o SolidWorks ser o sucesso que é com os seus usuarios, é a sua INTERFACE INTUITIVA, vc não precisa ter um cuso, um instrutor para começar a sair usando/projetando algo, ao contrario do CATIA. Um iniciante sem auxilio de uma pessoa experiente no software, não consegue evoluir tanto quanto no SolidWorks. Este é o grande trunfo do programa.
    Mudando o KERNEL PARASOLID, para o V6, acredito que afetaria o software nesse sentido, o que seria uma pena.

  5. Não chega a me preocupar essa troca de “motor matemático” em softwares paramétricos 3D, tive a oportunidade de acompanhar a migração do Catia V4 para o V5 e em resumo digo que todos nós devemos estar preparados a todo momento à mudanças no mundo da informática. Eu sempre vejo mudanças como algo bom, que vem para ser um facilitador (como as versões do Windows por exemplo que no meu contexto sempre evoluem) e agilizar nosso trabalho.
    Há rumores que vem aí um SolidWorks V6 e isso me agrada, quanto a forma de trabalhar, é adaptar-se e ser feliz.

    1. Também concordo que as mudanças trazem melhorias e evolução. O problema nesse caso sera na conversão dos arquivos do kernel Parasolid para o V6. Como exemplo imagine que cada vez que uma nova versão do windows seja lançada todos os usuários tenham que refazer todos os seus arquivos, por problemas de compatibilidade.
      Mas tudo indica que o SolidWorks só terá a ganhar com todas essas mudanças. É só uma questão de tempo!

  6. Na minha opinião a troca de kernel do SolidWorks causará transtornos de qualquer maneira aos usuários, seja pela escolha de trocar de software CAD, sendo necessários novos treinamentos e remodelagens, como na utilização do Kernel V6 para converter arquivos das versões anteriores.
    Temos que aguardar o lançamento da nova versão em 2013 para vermos até onde a Dassault Systemes é capaz de nos surpreender.

  7. Muito bom artigo e realmente é preocupante esta mudança de engine matemática do Solid, pois eu que trabalho com o Inventor 2012 já tive alguns problemas com arquivos de versões anteriores; fora o fato de sempre ter de fazer upGrade para versões recentes devido a envio de dados de outros fabricantes e tal.
    Nem quero imaginar o tamanho do problema entre as versões e dificuldade de suporte!

  8. Essa tal mudança de kernel NÃO está confirmada. O SW 2013 vai continuar sendo uma evolução do 2012, e assim por diante. Tudo sob o mesmo Parasolid, e algumas novidades. Uma delas é que a partir do 2013, o Solidworks do ano anterior vai ser capaz de abrir arquivo de uma versão superior (2012 vai abrir 2013, 2013 vai abrir 2014,…). Alguns até dizem que o 2013 pode ser aceito como um SP do 2012.

    Aqui vai mais umas mudanças: http://www.rickyjordan.com/2012/02/solidworks-2013-sneak-peek.html

    E mais uma vez, o vice presidente de desenvolvimento de produtos da Solidworks ja avisou que o kernel NÂO está sendo mudado ainda.

    Retirado de: http://www.linkedin.com/groups/futuro-do-Solidworks-Na-vis%C3%A3o-3671335.S.109307197?view=&gid=3671335&type=member&item=109307197&trk=NUS_UNIU_SHARE-grp

  9. Então pessoal, realmente essa troca de kernel não foi admitida pela SW. Agora que vai acontecer é certo, pois se não eles não terão como acompanhar a evolução tecnológica da modelagem hibrida. A saída do kernel fica evidenciada com a declaração do Ex-CEO da SW (Jeff Ray) que comenta nessa reportagem quando ainda era CEO da SW que irão “pular da ponte e tocar fogo nela” e que irão “matar” o SW conforme conhecemos hoje. Veja: http://www.deelip.com/?p=4714 (Após essa entrevista Jeff Ray perdeu o cargo de CEO da SW).

    No meu entender o que irão fazer é continuar mantendo o SW Parasolid até o novo SW estar bastante estável, em seguida irão gradativamente “forçando” a migração até não necessitarem mais do SW Parasolid para então matar o produto… isso deve levar uns 7 ou 8 anos ainda.

    Em junho 2009, ainda representando a Autodesk, eu já vinha previsto que algo como isso poderia acontecer, vejam: http://odanbana.blogspot.com.br/2009/06/sobre-o-inventor-fusion-e-solidworks.html

    A SW fará de tudo para minimizar o impacto dessa migração, inclusive negar e jogar cortina de fumaça pois impactará e muito nos negócios da empresa.

  10. Prezados(as), Na minha visão e conhecimento do assunto até certo nível, este assunto sobre Kernel ou (motor matemático) dos softwares de CAD sempre foi assunto a ser explorado comercialmente e tecnicamente para argumentos de VENDAS. Assunto largamente usados em determinadas épocas por vendedores e seus pupilos para enaltecer sua tecnologia e desmerecer a dos concorrentes.

    Procurem um pouco do histórico dos desenvolvimentos de cada software e voces vão observar algumas mudanças de Kernel, por exemplo: O SolidEdge no inicio usava o ACIS e quase na mesma época que foi adquirido pela antiga UGS já rodava sobre a plataforma do Parasolid. O Inventor iniciou com o ACIS que agora tem seu proprio motor ShapeManager, ou seja existe ai uma troca de tecnologia por parte de cada desenvolvedor. Diziam que a UGS iria parar de fornecer o Kernel para o Solidworks, porém outra vertente falaria que a UGS ganhava mais dinheiro com a venda de licenças do Kernel para SolidWorks do que propriamente com a venda do SolidEdge, não digo que isso é verdade, mas sim boatos que rondaram na época. Mas no final das contas isso é tão importante para o Usuário Final ????? Resposta NÃO.

    O usuário final quer saber primeiro: Da funcionalidade do software se ele vai conseguir projetar de forma eficiente os produtos dele, Se vai ter suporte do software e se o software esta em constante evolução, Se tem integração com ferramentas CAM, Vai querer saber se ele vai ter como compartilhar o projeto com fornecedores e clientes, Quantos já usam o software, Se a desenvolvedora é estável financeiramente, Se o software é bem vendido no mercado, e o preço que estão pedindo no software é justo com as funcionalidades apresentadas… e várias outras…. Falei de Kernel ? Não. A então e o tal do Kernel ?… Uma pequena analogia, Compare seu software como um refrigerador… sim um Refrigerador (Geladeira) esse é o software CAD, que voce abre a porta, coloca a cerveja no lugar certo, pega facilmente o gelo e a água gelada. E o Kernel, ahhh o Kernel é o compressor… Alguém sabe a marca do compressor de sua Geladeira ? Podem até saber, mais uma informação cultural, mas imaginem que decidem agora lançar a mesma geladeira com um compressor com uma marca que tem garantia de 10 anos… melhor ainda e a tal da Geladeira vai continuar funcionando bem obrigado talvez com mais eficiência.

    Basicamente sendo minimalista acredito que assim que iria acontecer com um software CAD que decidisse trocar o seu Kernel, troca-se o Kernel e implementam-se mais funcionalidades e deveriam se preservar os arquivo “Projetos” gerados anteriormente. Resumindo, tudo precisa evoluir e se isso vai ser por meio de trocar o Kernel será trocado e acreditando no bom senso das empresa minimizando os impactos para os clientes, na verdade deveria surpreende-los com novas funcionalidades.

    O usuário não quer um compressor novo e sim funcionalidades e facilidades para manipular sua geladeira como ele desejar.

    1. Boa analogia Sergio. Isso quer dizer que os fins justificam os meios certo? E será que uma troca de kernel assemelha-se mais com uma troca de compressor ou até mesmo motor, ou está mais para uma cirurgia cardíaca? Ambos os softwares citados acima (Solid Edge e Inventor) que trocaram o kernel, tiveram uma grande desvantagem no período dessa mudança. Você crê que isso irá acontecer agora também com o SW, ou é outro momento e isso não irá afetar a performance e desenvolvimento da tecnologia atual (Parasolid)? Desculpe tantas questões, porém gostaria de saber mais sobre como pessoas com grande histórico no meio CAD, assim como você, enxergam esse momento.
      Retirado de http://www.linkedin.com/groups/futuro-do-Solidworks-Na-vis%C3%A3o-3671335.S.109307197?view=&gid=3671335&type=member&item=109307197&trk=NUS_UNIU_SHARE-grp

      1. Possivelmente a troca de Kernel acontecera em algum momento e de forma gradativa. Se forem visualizar no about do Solidwork versões mais anterigas vão ver que existia partes do ACIS lá também. Hoje na versão 2012 temos o que mostro mais abaixo. Voces podem observar que várias empresas fornecem componentes para se ter um software final, e isto não é diferente com os outros softwares. Desta forma acredito que pode ocorrer uma mudança gradativa nas próximas versões do solidworks e pode até ser que em exista um momento que o mesmo opere com dois kernels como é o caso de alguns softwares CAD, mas são suposições. Uma empresa como a Dassault que tem um forte investimento em desenvolvimento vai analisar o que é mais viável financeiramente tendo um impacto positivo para o usuário final, isso é o que mais importa. Se o Parasolid vai continuar ou não é mais uma decisão baseada na parceria e política entre as empresa, mas isso penso que não influência o dia a dia da pessoa que trabalha com o SolidWorks. Abaixo uma listagem do About do Solidworks 2012. Certamente existem bons contratos que são vantajosos para todos os lados.

        Portions of this software © 1999, 2002-2010 ComponentOne.
        Portions of this software © 2007-2011 DriveWorks Ltd.
        Portions of this software © 1998-2011 Geometric Ltd.
        Portions of this software © 1996-2011 Microsoft Corporation. All rights reserved.
        Portions of this software © 1995-2011 Spatial Corporation.
        Portions of this software © 2001-2011 Luxology, LLC. All rights reserved, patents pending.
        Portions of this software © 1992-2010 The University of Tennessee. All rights reserved.
        Portions of this software © 1986-2011 Siemens Industry Software Limited. All rights reserved.
        Portions of this software © 1986-2011 Siemens Product Lifecycle Management Software Inc. All rights reserved.
        Portions of this software incorporate PhysX™ by NVIDIA, 2006-2010.
        Portions of this product were created using LEADTOOLS © 1991-2006, LEAD Technologies, Inc. All rights reserved. Portions of this product are licensed under US Patent 5,327,254 and foreign counterparts.
        Portions of this software © 2006 Google Inc. All rights reserved. Click here for more information.
        Portions of this software © 2000-2001, Aaron D. Gifford. All rights reserved. Click here for more information.
        Other portions of SolidWorks 2012 are licensed from SolidWorks licensors. All rights reserved.
        For information about U.S. Government Restricted Rights, click here.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *