death of solidworks
3D AutoCad Autodesk Inventor Fabrica do Projeto Projetos em 3D Softwares CAD SolidEdge Solidworks

O futuro do Solidworks (Na visão dos defensores e da concorrência!)

Muito bem pessoal! Hoje gostaríamos de debater sobre um dos assuntos que vem "agitando" o mundo CAD 3D nos últimos meses. O texto é muito interessante. Leia até o final e expresse sua opinião através de seu comentário!

Estamos acompanhando uma "guerra" de informação (e de mercado) entre os defensores do Solidworks e a concorrência, com relação às futuras versões do software. Para você que ainda não ouviu falar, a questão é a seguinte:

O Kernel (motor matemático) utilizado pelo Solidworks é o Parasolid. É também o kernel 3D utilizado para NX Siemens PLM e SolidEdge, MicroStation da Bentley, Vectorworks Nemetschek, e vários outros produtos de CAD. O grande "X" da questão é que o Parasolid é um produto licenciado da SIEMENS, empresa que compete diretamente com o SolidWorks e CATIA, através de seus softwares SolidEdge e NX Siemens PLM.

Então logo vem a pergunta: Qual o interesse da SIEMENS em fornecer um motor matemático (praticamente a alma do programa, o motor do carro) de ponta, com o mesmo nível de desenvolvimento empregado pela empresa no SolidEdge? É como ir à guerra com um país, mas ao mesmo tempo, vendendo-lhes a munição!

Então caros leitores, a Siemens ficou com a FACA e o QUEIJO na mão!

A partir disso, começaram os rumores sobre a migração do SolidWorks, hoje baseado no Parasolid da Siemens, para a plataforma V6, a mesma empregada no Catia, que é o coração das aplicações da Dassault Systemes, proprietária do SolidWorks desde 1997.

E o que isso significa para os usuários e arquivos gerados no Solidworks até agora? Algumas situações:

  • Os arquivos gerados serão totalmente diferentes, sendo assim, os arquivos antigos sofrerão sérios problemas de conversão paramétrica, existindo a possibilidade de abrirem somente nas versões específicas - Parasolid e V6;
  • Aplicativos externos desenvolvidos para o Solid atual não funcionarão na nova versão;
  • Se o usuário optar pela migração a nova versão V6, precisará manter outro programa paralelo (Parasolid) para abrir os antigos arquivos;
  • Se forem mantidas duas versões do programa, V6 e parasolid, para qual versão a Dassault dedicará mais atenção?
  • Se forem mantidas duas versões do programa, V6 e parasolid, a Siemens fornecerá a mesma versão do Parasolid utilizada no SolidEdge?

A Dassault segue argumentando que manterá o Kernel Parasolid nas próximas versões do SolidWorks (2014,2015,...), e que desenvolverá em paralelo o SolidWorks V6, como um produto diferenciado. Portanto, seguem abaixo alguns pontos de vista, dos diferentes "lados da moeda" para sua informação:

Matt Lombard - Consultor independente de Solidworks (referência no assunto):

Mudar de Parasolid a V6 é como tirar o motor de seu carro - o que o carro foi concebido em torno - e substituí-lo com um motor completamente diferente, que nunca foi destinado a ser usado em seu carro. Esta mudança é relativamente simples, se feito durante a fase de desenvolvimento. Depois de alguns anos de venda do produto é doloroso. Depois de mais de uma década e dentro de um produto que está alastrando em seu escopo, Dan antecipa com algum entusiasmo que uma mudança de kernel vai ser desastrosa para os usuários de SW. A mudança de SW201X para SW V6, considerando apenas os efeitos da mudança do kernel  (mesmo sem considerar os efeitos da nuvem) vai ser mais perturbadora  para os usuários finais, do que a mudança para um pacote de CAD completamente diferente, podendo esta ser menos prejudicial.

Indicação de Dyonadans Siqueira - Coordenado de Marketing da Siemens PLM, extraído de (http://www.baguete.com.br/noticias/software/22/03/2012/cad-siemens-plm-cutuca-solidworks)

A Siemens PLM partiu para cima da SolidWorks com a divulgação de um case de migração que tira máximo proveito da insegurança existente na base de clientes da concorrente sobre uma futura migração de kernel da solução de CAD 3D da SolidWorks.

O case, distribuído em nível mundial, fala da troca de software de CAD da Helena Laboratories, fabricante de instrumentos de laboratório clínico com 800 empregados sediada no Texas, Estados Unidos.
Usuária SolidWorks desde 2007, a Helena decidiu trocar para o SolidEdge em 2010 quando começaram os rumores sobre a migração do SolidWorks, hoje baseado no Parasolid da Siemens, para a plataforma V6 que é o coração das aplicações da Dassault Systemes, dona da SolidWorks desde 1997.

“Nós não queremos desperdiçar nossos valiosos recursos, tempo e dinheiro para manter a implementação de mudanças para outros. Serão anos até o SolidWorks conseguir converter para Catia kernel”, relata na nota da Siemens Billy Oliver, engenheiro de projeto no Helena.

Enquanto a Siemens faz a sua parte expondo os possíveis problemas de uma futura migração, a SolidWorks se esforça para minimizar o possível impacto da novidade.

Durante o SolidWorks World 2012, o CEO da companhia Bertrand Sicot, disse que anúncios sobre a aguardada nova versão do software de CAD 3D, que já vem sendo esperada desde 2010, serão divulgados somente em 2013.

Sicot fez questão de frisar que mesmo com o lançamento em um futuro não determinado, a companhia não forçaria uma migração para o novo produto, mantendo o SolidWorks atual enquanto houvesse demanda dos clientes.

O primeiro ensaio sobre o assunto foi o lançamento em 2011 do n!Fuze, um software de gestão de documentos hospedado em cloud computing já baseado na plataforma V6. O produto no entanto não decolou e está atualmente em reformulação.

Se no front da engenharia a situação está indefinida, o V6 será a base de um ataque da SolidWorks na área de arquitetura, tradicionalmente dominada pela concorrente AutoDesk. A companhia prometeu até outubro o lançamento de um CAD voltado para o segmento.Em resumo, a Siemens PLM ataca o mercado da SolidWorks, que se prepara para atacar o mercado da Autodesk, quem sem dúvida está preparando algo em relação aos seus concorrentes. Os próximos anos serão muito interessantes no mercado de CAD.

Artigo publicado por José, usuário e entusiasta do solidworks no Blog: http://solid3d.blogspot.com.br/2012/04/um-pouco-do-que-aconteceu-no-solidworks.html

No evento, que reuniu mais de 5,6 mil pessoas, tanto Bernard Charlès, principal executivo da Dassault Systèmes, como Bertrand Sicot (foto), CEO da DS SolidWorks, além de outros altos executivos, garantiram que o software de CAD 3D SolidWorks será mantido tal como ele é (obviamente com as atualizações maiores a cada nova versão e outras atualizações de praxe)  por todo o período em que o mercado o suportar. Também foi dito, em alto e bom som, que o kernel Parasolid será mantido versão 2013 pelo vice-presidente e gerente de produtos da SolidWorks, Fielder Hiss. “Isso não vai mudar”, afirmou.   

Os números da DS SolidWorks, por si, parecem ser suficientes para ratificar o que afirmam o executivos. O CAD SolidWorks tem 1,7 milhão de usuários no mundo. Fazer modificações mais radicais, que podem deixar descontentes esse verdadeiro batalhão de usuários, seria como comprar uma briga com uma população equivalente à de Curitiba (PR), ou maior que a de Guarulhos, na Grande São Paulo. 

E, no caso do software SolidWorks, a situação é agravada porque os usuários têm um bom motivo para se sentirem “donos do produto”. Como se sabe, boa parte das cerca 200 inovações ou aprimoramentos colocados a cada nova edição do CAD são decorrentes de sugestões feitas por usuários. 
Destaque-se também que a marca SolidWorks é responsável por 20% do faturamento total da Dassault Systèmes (1,78 bilhão de euros).     Ainda é bom lembrar que o software SolidWorks é um produto cuja demanda não para de crescer. Em moeda constante, o faturamento da DS SolidWorks cresceu 12% em 2011. A venda de novas licenças comerciais do CAD 3D cresceu 14%, totalizando perto de 48 mil licenças. 

A participação do produto no mercado de CAD mecânico é tão evidente, que até mesmo a concorrência reconhece. Dan Staples, diretor de desenvolvimento de produto Solid Edge, da Siemens PLM Software, declarou recentemente ao site especializado CADdigest.com, que a SolidWorks tem a maior participação de mercado em sua categoria de produtos.

A novidade é que além do CAD 3D SolidWorks, que está no mercado, a empresa está desenvolvendo um novo CAD, que está sendo chamado de SolidWorks V6. Este produto deverá integrar a plataforma V6 da Dassault Systèmes. Para saber como será exatamente este produto (ou série de produtos), vai ser preciso esperar. Nenhum detalhe foi divulgado durante o evento. 

Neimar Chiapetti: Profissional de vendas do canal Autodesk para o estado de Santa Catarina. Extraido do blog: http://prototipagemdigital.wordpress.com/

San Diego – SWW 2012 – “Eu tinha que admitir que estava confuso. Todo mundo – concorrentes e usuários – falava sobre como o Solidworks estava mudando seu Kernel – e todos os tipos de coisas ruins que aconteceriam. A ‘merda seria jogada no ventilador’. Todos os seus modelos do Solidworks seriam jogados fora. Aplicativos de Terceiros deveriam ser totalmente reescritos. Um DESASTRE de conversão estava por vir. A Dassault Sistémes, que mal conseguia converter arquivos entre versões do Catia agora estava a caminho de trocar o Parasolid para o Kernel do Catia! A Dassault foi ignorando vozes do passado de cautela, tanto externa quanto interna. Dizia-se que a Dassault havia trocado o CTO Gian Paulo Bassi por Austin O’Malley com esse objetivo. O Gian Paulo havia declarado que o Solidworks estaria usando o Kernel V6 no dia anterior. No entanto, Fielder Hiss, VP de Desenvolvimento de Produto, diz que o Solidworks não está mudando seu Kernel.”

Resumindo: Quando perguntado se estava ou nao mudando o Kernel, Hiss afirmou que ambos estão corretos. Em outras palavras, a Dassaul vai começar a desenvolver, em 2013, o Solidworks com motor V6 (Catia) e continuar desenvolvendo o Solidworks com motor Parasolid.

A pergunta que fica no ar: qual o investimento paralelo em cada ferramenta? Seria uma repetição da mesma história que aconteceu com o Mechanical Desktop da Autodesk? Ele ainda existe, mas não há mais desenvolvimento de ferramentas.

E a pior de todas: por quanto tempo terei que usar Solidworks do jeito que está, enquanto os softwares concorrentes como Autodesk Inventor e Solid Edge continuam a se desenvolver a passos gigantescos?

O tiro foi dado. A largada foi dada. Agir ou esperar? É isso o que se perguntam clientes e desenvolvedores da versão do Solidworks – Parasolid.

E você? o que acha? Qual o futuro do mercado CAD 3D? Este é um assunto polêmico que poderá mudar a decisão de muitos gerentes de projetos e empresários nos próximos anos. Solidworks, Inventor ou SolidEdge? A Fábrica do Projeto abre o espaço para a discussão sobre o assunto. Utilize o campo de comentários e dê seu ponto de vista!
Aprenda mais! Compre livros! Confira aqui nossas dicas de leitura para Solidworks, Autodesk Inventor, Solid Edge e catia by Livraria Saraiva.